domingo, 27 de julho de 2014

Meus maiores exemplos de hombridade, meus orgulhos. Pai, avô e irmão. (Estância do Capão - julho/2014)
"Se hoje é um dia especial?? É claro!! O que seriam de nós mulheres sem os homens?? Feministas que me desculpem, mas NÃO, o mundo NÃO É das mulheres, nunca foi e nunca vai ser. O mundo nada seria sem a força (não só no sentido físico) dos homens. Nada seria de nós sem um pulso forte na criação, um conselho, um abraço de pai. Nada seria de nós sem uma boa história contada por um avô, e o respeito que ele nos impõe. Nada seria de nós sem um abraço protetor de irmão. Nada seria de nós sem amigos verdadeiros. Devemos muito aos homens, pois foram eles que construíram o mundo como ele é, e que as mulheres insistem em mudar (não to dizendo que não foram boas algumas das mudanças, mas não quero igualdade), eles fizeram a nossa história, e continuam construindo. Enquanto a mulher precisa de lições pra crescer, o homem tem que buscar por seus próprios pés seu amadurecimento. Ele tem de aguentar tudo sem se mostrar fraco, sem por "a prova" sua masculinidade, sempre sendo o apoio a todos.
Meus parabéns a todos os homens!"
Bibiana da Rosa Teixeira (Uruguaiana, 15 de julho de 2013.)

terça-feira, 8 de julho de 2014

Orgulho? Não desse povo...

Hoje vejo todos aqueles que glorificaram a seleção desfazer desta. Todos aqueles que declararam amor aos jogadores, hoje os odeiam. O orgulho de uma nação acabou por um jogo. Vergonhoso?? Seria muito mais se fossem esses que maldizem lá em campo!! Nós enfrentamos uma seleção de outrora, com todas suas qualidades, e nem por isso deixamos de ter as nossas. Com toda essa modernidade, os amores eternos acabam em semanas, as palavras e o "fio do bigode" não valem de nada, promessas e juras são esquecidas, e o orgulho acaba com um "upa". Sinto dizer a esses que dizem não ser mais brasileiros que a nacionalidade não muda, levamos por resto da vida, o que nos resta é defendê-la e honrá-la com toda gana. Acredito sim que ser gaúcha venha antes de ser brasileira, mas ainda sou brasileira. Tenho vergonha da corrupção, do abandono da educação e da saúde, mas não adianta desgostar e abandonar o país sem nada fazer. O país melhora com a ajuda de cada um. Antigamente as guerras eram feitas a honra, sangue e orgulho, hoje são feitas com um sofá e meia duzia de palavras. Vamos todos nos orgulhar do que nos foi regalado, das benfeitorias do Brasil - que não são poucas, da nossa presença mundial (e eu falo em números, produção e afins, não em carnaval e putaria exportada). Vamos todos "dar o nó no lenço" e seguir a luta por uma nação.