sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Sobre uma marca de copas...



A mesma marca, antiga, de metal e copas
ainda queima, o couro pampa, deste gado
foram cem anos, sustentando a história
de campo e de casco, nos deixado por legado.

Somos do campo, como foram os nossos..
De raízes largas, com um cerne, Teixeira
sementes das novas que cedo se espalham
mas ainda florescem pelas Cordilheiras.

Somos do campo e bem vividos dele!
Somos os fiadores das últimas tropas
e por isso sempre, vai seguir queimando
feito uma saudade, esta marca de copas.

Terá sempre um piá a se chamar Valério
e sempre outro neto, a nos levar em frente...
Porque hoje queima esta marca de copas
que é mais que um brasão, no memorial da gente.


Gujo Teixeira (2000)