quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Às vezes o nosso pensamento se torna pesado, sentimos como se tudo estivesse errado em nossa vida. Repensamos escolhas feitas no passado e imaginamos como estaríamos hoje se elas tivessem sido de outra maneira, e acabamos nos convencendo que foram todas equivocadas. A vontade maior é pegar um relógio e fazê-lo girar ao contrário até o dia da decisão que nos trouxe aqui, mas isso não é possível. Então a vontade é largar tudo e começar do zero, mas esse tudo é tão pouco e foi tão difícil conquistar que acaba não sendo tão fácil assim. Então vem o desespero, a sensação de estar perdido e de nada mais fazer sentido. E se eu tivesse escutado aquele amigo? E se eu tivesse escutado meus pais? E se eu optasse por outra decisão? E se eu tivesse deixado aquilo pra mais tarde? E se eu tentasse de uma maneira diferente? E se eu tivesse me dedicado mais? E se eu não tivesse me dedicado tanto? E se...? E se...? E o que mais dói é que sempre alguém poderá dizer-nos: "eu avisei!".
Mas então seguremos o pranto, acalmemos a alma e aceitemos. Aceita, pois, teu plantio e tua colheita. A velha citação de que "tu te tornas eternamente responsável pelas tuas escolhas" é totalmente certa. Engole o choro e bola pra frente. Se fizemos alguma escolha, é porque ela era SIM a melhor, é porque era sim pra ter resultado em tudo que temos agora. Temos de seguir até o fim, se começamos algo, temos de terminar. A questão é "matar no peito" as nossas escolhas e honrá-las. Honrá-las a ponto de termos orgulho dela. Honrá-las para mostrarmos pro mundo que estávamos certos. Honrá-las para que sejamos honrados.

Um comentário:

  1. Belo texto.
    Mas será mesmo que devemos aceitar, se conformar e terminar.O passado não pode ser mudado, mas o presente pode. Discordo que todas as escolhas são as melhores. Talvez por escolhas passadas o destino me presenteasse com uma cesta de camarão frito na beira da praia e eu não estaria aqui escrevendo uahsuhaushauhsusahu. Veja bem, não somos perfeitos certo? Certo .Não podemos errar? Claro que podemos. Podemos desistir, não é covardia e nem fraqueza, lógico que não sempre logo na primeira dificuldade que aparecer. Mas ter um pouco de humildade e CORAGEM para mudar são necessários , não podemos ser reféns de algo 'mal decidido' para sempre apenas para ser 'honrado' e ter orgulho. De que vale ser honrado, orgulhoso e não ser feliz?
    Abraço, esperando o próximo texto ;-)

    ResponderExcluir