quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Não encaixa, não orna, não serve...

"Quando a gente quer muito uma pessoa, a gente se engana. A gente tenta encaixar aquele outro ser humano em posições que nunca foram dele. A gente clama ao universo para um sim em algo que já começou destinado ao não. A gente quer, e a gente bate o pé e faz pirraça feito criança para conseguir. Mas um dia a gente percebe que amor tem que ser uma via de mão dupla. Amor tem que ser fácil, tem que ser bom, tem que ser complemento, tem que ser ajuda. Amor que é luta é ego. Amor que rebaixa é dor. E então a gente aprende que amor que não é amor, não encaixa, não orna, não serve."

2 comentários:

  1. Como não verei vc mais nas festas?!? Nem sequer nos corredores.
    Só quero que saiba que deixaste um amor platônico desolado.

    Eu sou apenas alguém
    Ou até mesmo ninguém
    Talvez alguém invisível
    Que a admira a distância
    Sem a menor esperança
    De um dia tornar-me visível
    E você?
    Você é o motivo
    Do meu amanhecer
    É a minha angustia
    Ao anoitecer
    Você é o brinquedo caro
    E eu a criança pobre
    O menino solitário que quer ter o que não pode
    Dono de um amor sublime
    Mas culpado por quere-la
    Como quem a olha na vitrine
    Mas jamais poderá te-la
    Eu sei de todas as suas tristezas
    E alegrias
    Mas você nada sabes
    Nem da minha fraqueza
    Nem da minha covardia
    Nem sequer que eu existo
    É como um filme banal
    Entre o figurante e a atriz principal
    Meu papel era irrelevante
    Para contracenar
    No final

    ResponderExcluir
  2. Te verei novamente ou não? por favor me de um alento: não sei c vou aguentar hahahah

    ResponderExcluir